Ensino Superior

Academia Portuguesa de História galardoa investigadores da UC

Membros do Centro de História da Sociedade e da Cultura foram premiados. A Idade Moderna, entre Santa Clara e pecados clericais, foi tema abordado. Por Carlos Duarte de Almeida e Gabriela Salgado

A Academia Portuguesa de História (APH) distingue, todos os anos, várias obras de autores portugueses, que se destacaram na sua área. Este ano, a 2 de dezembro, foram premiados dois investigadores da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), Maria José Azevedo dos Santos e Jaime Teixeira Gouveia.

Maria Azevedo dos Santos considera que o reconhecimento dado ao seu livro “As regras da Regra. Santa Clara. Códice do século XVI”, com o Prémio Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, dá um impulso à continuidade da investigação, preparando-se para um trabalho futuro que incidirá sobre a vida da Rainha Santa Isabel. Acrescenta que “há muitas portas abertas” à sociedade em relação à sua área – História Medieval – devido aos recursos existentes. A obra foi escrita com a colaboração de Francisco Pato Macedo e com prefácio de José Pedro Paiva.

“A Quarta porta do Inferno. A Vigilância e Disciplinamento da Luxúria Clerical no espaço luso-americano, 1640-1750”, de Jaime Gouveia, foi galardoado com o prémio Fundação Calouste Gulbenkian – História Moderna e Contemporânea de Portugal. Este trabalho resulta da tese de Doutoramento, defendida no Instituto Universitário de Florença. O livro analisa os delitos e comportamentos indecorosos cometidos por clérigos nos séculos XVII e XVIII. O autor dá um exemplo: “Um dos delitos que eu analiso é o delito de solicitação, que consistia em um clérigo utilizar inclusivamente o sacramento da confissão para abusar da sua penitente”. Pretende realçar as preocupações que a Igreja Católica teve e continua a ter na atualidade, matéria que não era estudada até à data por excesso de sigilo da Igreja.

Os premiados realçaram a honra que é ser distinguido pela APH. A docente dedica este prémio aos seus estudantes, à UC e a Coimbra. Já o investigador enfatiza o orgulho que sente em receber este prémio, que considera o mais importante dos que já recebeu até então.

Fluc-1

Fotografia: Arquivo

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: