Ensino Superior

Dívida e movimento associativo em destaque na tomada de posse

Ponto de situação da AAC e objetivos para 2016 foram temas abordados na sessão. Bruno Matias e João Gabriel Silva também discursaram. Por Vasco Sampaio

Discursos, desafios e lágrimas marcaram o fim de tarde de quinta-feira no auditório da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (FDUC). José Dias na Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC), Bernardo Nogueira pelo Conselho Fiscal e João Carocha na Mesa da Assembleia Magna tomaram posse como presidentes dos órgãos sociais da AAC. A cerimónia, iniciada às 19 horas, foi palco para o reforço dos objetivos da associação durante o próximo ano civil.

“Com mãos se faz a paz se faz a guerra. Com mãos tudo se faz e se desfaz”. Foi com esta citação de Manuel Alegre que o novo presidente da DG/AAC começou o seu discurso, onde abordou a atual “estabilidade administrativa, cultural, desportiva e política” da casa como ponto de partida para “fazer a diferença” durante o próximo ano de mandato. A diminuição da dívida externa – que é, hoje, “pequena e gerível” – faz com que seja possível, na ótica do presidente, trabalhar para extinguir as dívidas a secções e núcleos de estudantes em 2016.

Também para recordar resultados eleitorais serviu a palestra. Nas eleições de novembro, a candidatura de José Dias foi “a mais votada de que há memória”, mas 2015 “foi o ano com a mais elevada abstenção”. Ainda assim, o presidente da DG/AAC afirmou que é “pura falácia” falar de um “afastamento” dos estudantes dos órgãos de decisão. “Não é desculpa” o facto de terem existido apenas duas listas concorrentes e “é um objetivo adequar os processos eleitorais aos novos tempos do Ensino Superior”.

O “diálogo e a transparência” foram outros pontos defendidos durante o discurso para “evitar confrontos” no Movimento Associativo Nacional (MAN). A quebra com o movimento em junho de 2015 não afastou a AAC dos temas lá discutidos, segundo explicou o presidente da DG/AAC. Ainda assim, é necessária uma “larga discussão interna e nacional” e um debate acerca de um possível regresso ao MAN para “promover novos entendimentos em relação às políticas educativas” e ao futuro da representação estudantil.

O reitor da UC, João Gabriel Silva, também aproveitou a cerimónia para se dirigir aos estudantes e mostrar “empenho em colaborar com a DG/AAC para construir soluções para os problemas da universidade e da associação”. Promover o “diálogo contínuo” entre todas as entidades ligadas ao Ensino Superior é, segundo o reitor, a “única forma de melhorar” o trabalho das universidades.

A sessão de tomada de posse contou ainda com a palavra de Bruno Matias, que se despediu do cargo de presidente da DG/AAC entre lágrimas, agradecimentos e pedidos de desculpa pela comoção. Uma retrospetiva dos dois mandatos levou o ex-presidente a um “sentimento de tremenda gratidão” por uma “caminhada inesquecível” que culminou na passagem do testemunho aos novos dirigentes.

 

Fotografia: Arquivo, 2015

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: