Uncategorized

Riso e sátira de Gil Vicente retornam aos palcos do Teatro da Cerca de São Bernardo

A peça ressurge de uma iniciativa da Escola da Noite que quer dar oportunidade ao público de redescobrir obras do dramaturgo português do século XVI. Por Philippe Alexandre Baptista e Carolina Marques

Pelo seu tom de sátira e comédia, a obra “Auto dos Físicos” de Gil Vicente integrava-se no âmbito de Carnaval e foi pela primeira vez apresentado há 500 anos atrás. A Escola da Noite relança esta peça no Teatro da Cerca de São Bernardo nos dias 12 e 13 de Fevereiro. Este auto é “o início daquilo que chamam de uma operação urbana dedicada a Gil Vicente“, como afirma Pedro Rodrigues, produtor da Escola da noite, que reitera o espírito carnavalesco desta peça na semana festiva.

A peça, que se estreou pela primeira vez em setembro de 2014, realizou-se com o intuito de comemorar o 35º aniversário do Serviço Nacional de Saúde. Resultou, assim, de “uma encomenda da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos“, como explica o produtor. A farsa que se desenrola à volta de quatro médicos, designados por “físicos” no século XVI, e demonstra, através da comédia, como era esta profissão na época.

Pedro Rodrigues anuncia algumas das razões que levaram ao relançamento da peça. A primeira prende-se com o facto de gostar de “voltar a representar peças que estão no repertório e que transitam de anos anteriores, dando ao público a possibilidade de ver a peça para quem não teve oportunidade no passado“. A segunda razão é dada pela integração da peça no Carnaval, pois, “segundo tudo indica, terá sido estreada em altura de carnaval há 500 anos atrás, e isso também justifica o facto de se tratar de uma peça tão divertida e tão brincalhona“, explica.

O auto que se revela como uma crítica às instituições e a forma como exerciam o seu poder faz com que seja considerada transversal e intemporal a todos os séculos, como afirma o produtor. O desafio aos poderes e a crítica à desigualdade é transmitida nesta peça “através do riso e da comédia, que sempre foi uma das armas mais poderosas e mais desarmantes para combater os poderes instalados”, acrescenta. O texto utilizado na peça é o original, como é hábito pela Escola da Noite, sendo uma forma de conservar o “património artístico, cultural e histórico de Portugal”, como refere Pedro Rodrigues.

A peça vai ser exibida no Teatro da Cerca de São Bernardo no próximo fim-de-semana, pelas 21h30, tendo como alvo o público em geral. Nos dias 15 e 16, vão existir espetáculos em horário diurno, dirigidos às ”escolas e aos alunos que estudam Gil Vicente”, sendo uma forma de estes se poderem aproximar ”das transposições para palco efetuadas”, conclui Pedro Rodrigues.

autodosfísicos

Fotografia gentilmente cedida pela Escola da Noite

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: