Cultura

Docente da FLUC em equipa vencedora de prémio internacional

Minas de ouro da aldeia de Tresminas retratadas em documentário galardoado em Espanha. Professor da FLUC integra equipa vencedora. Por André Sobral e Rita Lima

Arqueólogo e docente da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), Pedro C. Carvalho, redigiu o guião do documentário premiado com o “Viriato de Ouro” no Festival Internacional de Cinema Arqueológico. “O ouro de Tresminas”, o trabalho apresentado, retrata a história da mina de ouro situada em plena Serra da Padrela, em Trás-os-Montes, assim como a sua importância económica durante Roma Antiga. A equipa vencedora recebeu o prémio no passado domingo, dia 3, em Zamora.

O projeto, que começou a ser desenvolvido em 2014 e que contou com pessoas de diversas áreas de estudo, como a arqueologia e o cinema, tem como objetivo promover a mina e a sua história relacionada com a hegemonia romana. “Esta funciona desde o século I e II, é a que está melhor conservada nos dias de hoje no território português e a que teve um papel mais relevante para o Império Romano”, explica Pedro C. Carvalho. Acrescenta que “o recurso aos meios audiovisuais é muito importante neste processo de transferência do saber, para explicar à comunidade em geral o que acontecia no passado”.

O complexo mineiro é composto por “explorações a céu aberto com cortas que têm cerca de 400 metros de comprimento por 100 metros de profundidade”, esclarece o arqueólogo e docente da FLUC. A área mineira constituída por “duas cortas maiores e uma mais pequena” dá o nome à aldeia de Tresminas, aclara Pedro C. Carvalho.

Atualmente, o município está a trabalhar na candidatura da estrutura histórica a Património Mundial da Humanidade da Unesco, apesar de esta já ser considerada património classificado. É por este motivo que houve, “da parte dos habitantes da aldeia de Tresminas, o interesse de criar material que apoiasse a candidatura e que projetasse a importância daquelas minas ao público”, salienta o arqueólogo e docente da FLUC.

As visitas são possíveis através de um circuito criado para o efeito e existe um centro interpretativo de apoio à área mineira, onde se pode assistir ao documentário premiado em Zamora. O filme foi enviado para as escolas de Vila Pouca de Aguiar para que as crianças e os jovens “percebam a importância do património que têm no seu concelho porque a história local também é importante”, sublinha Pedro C. Carvalho.

foto_mina

Fotografia: D. R.

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: