Cultura

Festival Anual de Teatro Académico leva grupos de Coimbra a palco

CITAC e TEUC sentem falta de reconhecimento dos estudantes da sua cidade. FATAL inicia-se com homenagem ao GEFAC. Por Rita Flores

“Conhecer outras pessoas e entrar em contacto com outras perspetivas de teatro universitário” é um dos principais objetivos da participação no Festival Anual de Teatro Académico de Lisboa (FATAL). É assim que a secretária do Conselho Fiscal do Circulo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra (CITAC), Celine Marie, responde face à participação do grupo em mais uma edição do festival. O Teatro de Estudantes da Universidade de Coimbra (TEUC) vai também estar presente com duas peças em competição. Matilde Simões, vice-presidente do TEUC, reforça a ideia de que a iniciativa é uma “troca de experiências entre vários teatros”. O evento inicia-se amanhã, 20, e termina a 7 de maio, com uma entrega de prémios.

Celine Marie confere importância à participação de ambos os grupos no festival, dado serem “poucas as organizações escolhidas para entrar no FATAL”. Porém, Matilde Simões afirma que “os estudantes de Coimbra deviam reconhecer mais esse mérito”, opinião que a secretária do Conselho Fiscal do CITAC subscreve. Num evento em que existe uma vertente de competição, onde os vencedores são remunerados no valor de 1.000 ou 1.500 euros, a iniciativa conta ainda a possível entrega de menções honrosas por parte do júri, bem como de um prémio entregue pelo público.

O diretor do FATAL, Rui Teigão, que apresenta o teatro universitário como uma “forma de as pessoas estarem juntas e de se exprimirem”, elogia o trabalho dos dois grupos de Coimbra pelas suas “estruturas sólidas de teatro universitário”. “Promovem regularmente novas direções dos grupos de teatro, assumidas por novas gerações e cursos de formação ”, explica.

A cerimónia de abertura do festival conta com uma homenagem ao Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra, nas comemorações do seu 50º aniversário. Amanda Guapo, membro do grupo, afirma ser um modo de “validar” a “qualidade do trabalho que se tem feito ao longo dos anos”. A celebração proporciona ainda uma “maior visibilidade e divulgação das atividades que pretendem fazer”, acrescenta.

“Promover e divulgar o trabalho dos alunos universitários, dos grupos que se juntam para fazer teatro como atividade extracurricular” é o principal objetivo da organização do festival, esclarece Rui Teigão.

teuc

Fotografia gentilmente cedida pelo TEUC

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: