Desporto

Fim-de-semana de ouro para judo da AAC

Atletas preparam-se para Campeonato Europeu, onde vão enfrentar adversários de peso. O clube, que comemorou 50 anos em 2011, é o mais medalhado a nível nacional. Por Rita Portugal

O presidente da Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra (SJ/AAC), Filipe Rosa, considera que o Campeonato Nacional de Veteranos (CNV) está a tornar-se mais forte de ano para ano. Porém, isso não impediu os atletas da AAC de conquistar quatro medalhas de ouro, uma de prata e três de bronze no passado sábado, 16, em Pinhal Novo. Os resultados distinguiram-na como o clube mais medalhado da competição, mas os judocas não se ficaram por aí. No dia seguinte, equipas de outros escalões competiram e fizeram com que a equipa de Coimbra se sagrasse tetracampeã no Campeonato Nacional Universitário (CNU), em Lisboa.

Após duas vitórias consecutivas, o objetivo passa por chegar ao quadro de honra, ou seja “aos 9 primeiros lugares” e, se possível, “medalhar e ir ao pódio” no Campeonato da Europa, que decorre de 23 a 26 de junho em Porec, na Croácia, declara Filipe Rosa. No entanto, o presidente relembra que os atletas da AAC combatem contra “outras potências com condições completamente diferentes” como é o exemplo da Rússia, da França e da Itália.

Os atletas procuram treinar todos os dias e fazer ginásio e trabalho técnico antes de combater. Contudo, enquanto competidores de outros países “fazem treinos bi-diários, [na SJ/AAC] faz-se treinos diários após um dia de trabalho”. As conquistas têm outro sabor quando os desportistas “possuem uma grande força e motivação para ir lá para fora enfrentar equipas deste nível”, acrescenta.

O CNV destina-se a atletas com mais de 30 anos. A prova que decorreu no sábado constituiu uma “motivação acrescida para os atletas que no dia a seguir foram combater”, afirma o presidente da SJ/AAC. Os veteranos acabaram, assim, por se tornar uma “referência” para os mais novos, por lhes provar que “mais tarde podem continuar a praticar a modalidade e a obter excelentes posições em competição”.

Filipe Rosa entende a AAC como um clube “muito forte e representativo”, dado ter sido o mais medalhado e todos os anos classificar atletas para campeonatos da Europa e do mundo. Não só os vencedores do CNV, mas também os atletas galardoados no CNU se podem apurar para provas internacionais. Daí o presidente considerar os resultados de extrema importância, uma vez que podem levar a que “outros atletas podem façam a opção, em termos académicos, de escolher a Universidade de Coimbra e, em simultâneo, treinar judo na AAC”.

Este é o clube mais medalhado desde 2015 e mantém agora a marca de referência com campeões nacionais em todos os escalões. Para alcançar estes resultados, a SJ/AAC, que comemorou 50 primaveras em 2011, mune-se de um corpo técnico com “formação de excelência a todos os níveis”. A metodologia de treino é mantida de ano para ano, mas Filipe Rosa revela existir sempre uma preocupação em “tentar perceber quem são os adversários nos diversos escalões” e de que forma a equipa pode ser moldada “em termos técnico-táticos”. Os resultados obtidos durante o fim de semana “vêm dar certezas de que [a secção está] no bom caminho”.

image1

Veteranos mostram as oito medalhas conquistadas no sábado, em Pinhal Novo

Fotografia gentilmente cedida por: Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: