Ciência & Tecnologia

Comportamento humano junta músicos e cientistas

Iniciativa repete-se a cada mês. Programação estende-se até ao final do ano e aborda a biologia corporal. Por Flávia Alves

Os vários sistemas que compõem o corpo do ser humano vão ser alvo de diálogo no Exploratório. Estas sessões integram-se no ciclo “Há Música no Coração”, uma das componentes da exposição permanente “Em Forma com a Ciência”. As diversas conversas vão reunir ciência e música em palco, por forma a proporcionar uma experiência dinâmica. O objetivo deste programa passa por “contribuir para a cultura científica, para o interesse pela ciência e para o conhecimento dos diversos públicos”, começa por afirmar o diretor do Exploratório Centro Ciência Viva, Paulo Trincão. O primeiro colóquio acontece amanhã, pelas 17 horas, e foca-se no sistema nervoso. Junta uma cientista e membros da Academia de Música de Coimbra numa interação com os presentes.

Margarida Pedroso Lima, investigadora da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC), é a primeira convidada, para falar “sobre algumas das implicações do sistema nervoso na forma como o ser humano se comporta e como este contribui para o estado de felicidade ou infelicidade”, afirma.

A fusão entre as duas áreas é proporcionada por músicos e por cientistas convidados. Os instrumentos musicais utilizados variam consoante a parte do corpo humano em discussão, com a sua escolha a ter sido feita em conjunto, “numa ligação que parecesse indicada”. Paulo Trincão realça também que “estas escolhas são subjetivas”, dado não existir qualquer lógica científica, “a não ser aquilo que o investigador e os membros da Academia de Música de Coimbra encontrem”.

Todo o comportamento é coordenado pelo sistema nervoso. Ao sintetizar dessa forma o tema da conversa de amanhã, Margarida Pedroso Lima junta a parte física à música, pela dinamização que esta vai trazer à conversa: “vai ter a dimensão mais cognitiva e a dimensão mais emocional, o que vai, ao mesmo tempo, tornar a conversa mais rica”. O diretor do Exploratório resume que “a música é uma atividade que interage com todo o corpo humano, que motiva e é recebida de uma forma muito sensorial”.

Por ser uma atividade adstrita a “Em Forma com a Ciência”, Paulo Trincão refere que “há lugar a um pagamento normal para uma entrada na exposição”, com o valor a variar entre individual e grupo. A próxima conversa vai ser subordinada ao tema do sistema reprodutor e está agendada para 18 de junho. O ciclo “Há Música no Coração” prolonga-se até 17 de dezembro, com uma periodicidade mensal, com passagem por outros sistemas corporais humanos.

[artigo editado por Paulo Sérgio Santos]

Exploratório_-_Centro_Ciência_Viva_de_Coimbra

Fotografia: DR

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: