Desporto

Académica quer repetir jogo em que os três pontos foram para os Açores

Estudantes pecam na finalização e Santa Clara aproveita para vencer fora de portas. Jogo fica marcado por duas supostas grandes penalidades a favor dos homens da casa. Por João Pimentel e João Ruivo

A Briosa estreou-se no seu reduto, na Ledman LigaPro, com o pé esquerdo após uma derrota com o Santa Clara, por uma bola a zero. O encontro, numa tarde de agosto onde se registaram 28 graus, foi visto por cerca de três mil espectadores.

Decorriam três minutos de jogo e Dennis Pineda, extremo do Santa Clara e internacional por El Salvador, fez o único golo da partida, na sequência de uma perda de bola da Académica. O camisola 11 dos açorianos desferiu um remate em arco dentro da área, colocado ao poste mais distante, e sem hipótese de defesa para Ricardo Ribeiro.

Fora um primeiro remate aos seis minutos, por Traquina, apenas à passagem do quarto de hora a Académica construiu uma jogada de envolvência atacante, embora sem resultado prático. Os estudantes continuaram a insistir e, já perto da meia-hora, um livre de Traquina passou sobre a barra da baliza do Santa Clara. Destaque ainda, no primeiro tempo, para a admoestação com cartão amarelo ao guarda-redes da equipa visitante, Serginho, por demora na reposição do pontapé de baliza.

Já perto dos 45, os homens de negro queixaram-se de um puxão à camisola de Tozé Marreco, dentro de área, e passados poucos minutos, de uma mão na bola a remate de Marinho, que poderia ter resultado noutra grande penalidade. Na sequência da jogada, João Traquina teve uma perdida que poderia ter permitido o empate aos estudantes.

 

Falha em substituição gera protestos

Concluída a primeira metade, o segundo tempo fazia antever uma reação da equipa da casa. Porém, o momento que marca os segundos 45 minutos foi uma confusão na altura da terceira substituição da Académica.

Nos primeiros minutos da segunda parte, Marinho desperdiçou uma oportunidade, após combinação com Tozé Marreco. De seguida, nova perdida dos estudantes, com o camisola 90, Tozé Marreco, a cabecear para as mãos de Serginho.

Com os miolos de ambas as equipas a anularem-se na construção de jogo, o segundo tempo foi escasso em futebol presenciado pelo público presente e a equipa do Santa Clara continuou a estratégia de antijogo iniciada ainda no primeiro tempo.

Aos 80 minutos sucede-se o episódio do jogo, aquando de substituições das duas equipas. O quarto árbitro, Sérgio Jesus, efetuou a substituição da Briosa conjuntamente com o Santa Clara e houve uma troca de algarismos, que resultou na saída de Rui Miguel, ao invés de Nuno Santos, para dar lugar a Makonda.

A estratégia academista ficou em terra e a partida terminou com o resultado que menos interessava aos da casa. No final da partida, o treinador da Briosa, Costinha, afirmou mesmo que “não é maluco para tirar um dos pontas-de-lança [Rui Miguel] estando a perder.”

Ainda na conferência de imprensa, o presidente da Académica, Paulo Almeida, referiu que “o erro desvirtua a justiça do jogo” e espera que “haja consequências”. Os estudantes vão apresentar protesto formal que pode vir a resultar na repetição do jogo. O próximo embate da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol vai ser no Estádio Municipal 25 de Abril, a 21 de agosto, frente ao Penafiel.

IMG_8690 Fotografia: João Ruivo

Discussão

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: